Antes de tudo, você pensa em voltar a ter o cabelo natural? Bom, eu considero viver esta mudança um ato de coragem, principalmente porque você decidiu se desprender dos padrões estéticos presentes na nossa sociedade.

A Transição Capilar é uma opção e solução para ter: cabelos saudáveis, bonitos e ficar longe de processos químicos. Neste post vou compartilhar um pouco da minha história, contar como foi o meu processo de transição, minha aceitação e de como consegui gerar uma economia de tempo e dinheiro graças a transição capilar.

Por que eu alisava o cabelo?

Primeiramente eu acredito que todo mundo que já alisou o cabelo pelo menos alguma vez na vida deve ter alguma história para contar e comigo não é diferente!

Cresci e convivi com diversas influências sobre ter o cabelo liso. Tenho diversas lembranças sobre esse assunto, mas neste post vou contar três que são as mais significativas.

A primeira é que eu costumava brincar de ter um cabelo liso com o cabelo da minha irmã. A segunda por sofrer bullying/zoação na escola com as minhas amigas da época e a terceira é uma cena de um dos meus filmes preferidos “O Diário da Princesa”.

O gif abaixo representa a imagem que eu criei na minha mente, do resultado assim que alisasse o meu cabelo:


Por fim, respondendo a pergunta deste tópico eu acreditava que essa era a única forma de me sentir bonita, ser aceita e ter/fazer amizades.

Como eram os meus alisamentos?

Sou da época da escova de chocolate (vocês lembram disso?). O meu primeiro “alisamento” foi um relaxamento capilar, que na primeira aplicação não trouxe o resultado que eu tanto sonhava.

Nos anos seguintes fiz continuidade deste tipo de alisamento em casa (não recomendo fazer isso), finalmente aos 20 anos fiz a minha primeira progressiva que foi um marco na minha vida capilar.

Neste período que passei fazendo relaxamento, o meu cabelo quebrou muito e com a escova progressiva, pude recuperar os meus fios e conquistar o resultado liso que eu sempre sonhei.

Assim foram os meus alisamentos, durante o meu período de cabelo liso tive: cabelos curto, longo e franja. Sem esquecer que fazia touca com grampos para dormir quase todas as noites.

 

Como eu me decidi retornar aos meu cabelo natural?

O meu desejo de retornar ao meu cabelo natural começou no ano de 2016. A princípio não era algo que de fato iria colocar em prática.

Cheguei a comentar com a minha irmã naquele ano após um casamento que nós fomos em Outubro, que aquela seria a última progressiva que faria. Mas em Janeiro de 2017 fiz um botox, no qual eu não gostei do resultado, e por fim em maio de 2017 que foi de fato a minha última escova progressiva, que fiz por conta de uma viagem a trabalho.

Fui muito incentivada e apoiada por muita gente durante o período da decisão, mas nem tudo são flores e conheci muita gente contra.

Ouvi as seguintes frases: “Depois de tudo que você você vai
voltar ao seu cabelo natural”
, “Você é mais bonita de
cabelo liso”
, “Mas não era o seu sonho ter o cabelo liso?”.

 

Como foi a minha transição capilar?

 

Os meus últimos três alisamentos, como contei no tópico acima vocês perceberam que todos foram por alguma desculpa para algum compromisso? Pois bem, eu poderia ter antecipado e concluído a minha transição em 2016 ou em 2017.

Mas o objetivo deste tópico é contar como foi a minha transição capilar, rs! Não foi diferente dos relatos que você já viu ou leu por aí na internet, foi uma fase muito difícil. Fiquei um ano de transição capilar, iniciado desde a última progressiva em Maio de 2017.

Passei 95% da minha transição capilar de cabelo preso, parei de usar secador e chapinha nos últimos 6 meses de transição, descobri que as chances do fio ficar com definição após a transição eram maiores se eu ficasse sem os meus antigos melhores amigos. Fazia hidratação capilar toda a semana e finalizava a parte natural do cabelo com produtos para transição.

Conclui a minha transição capilar fazendo o famoso Big Chop (BC) que é o grande corte, onde você tira toda a parte alisada do cabelo. Foi com uma cabeleireira profissional em cachos no Retro Hair, unidade do Top Center na Av. Paulista, em uma sexta-feira após o meu trabalho.

 

O que eu aprendi com a minha transição capilar

Muita coisa! Antes, durante e depois, neste mês de Setembro de 2020 completei 2 anos e 4 meses, sem arrependimentos e mega feliz com o resultado. Para concluir esse post, vou comentar melhor sobre os meus medos e economias.

Primeiramente acreditei que poderia ter problemas no trabalho, mas fui surpreendida positivamente neste aspecto pelo os meus superiores.

Agora em relação a economia de tempo, passava cerca de 8 horas semanais para arrumar o cabelo.

Progressiva: Lavagem: 2x na semana, 2 horas para finalizar. Hoje em dia passo no máximo em 1 hora, continuo lavando 2x na semana e passo cerca de 20 minutos no creme de pentear ou leave-in e mais 10 minutos quando utilizo o secador.

No aspecto financeiro nos anos de escova progressiva (2011 a 2017) retocava a cada 3/4 meses e custava cerca de R$180 reais, o custo anual era mais de R$540,00 somente a progressiva. Em contrapartida tinha o custo adicional com shampoo, condicionador e creme de tratamento para cabelos com química.

Se você que está pensando em fazer transição capilar ou fez e está pensando em alisar novamente. Saiba que não está sozinha(o), já pensei diversas vezes após o BC em alisar o meu cabelo, principalmente no início, me incomodava o tamanho que ficava após finalizado (o fator de encolhimento).

Durante a transição faça como eu, use o cabelo preso na rua e solto em casa, extremamente importante que você passe utilize produtos de transição durante o processo.

E por fim, o meu último recado dê o cuidado que o seu cabelo merece, cuide independente da fase capilar, sempre tive cuidado com cabelo liso e continuo tendo hoje com os meus cachinhos, ame o seu cabelo independente da fase capilar que está vivendo.

Obrigada por ler esse conteúdo e até mais!